Jueves, 16 de Agosto de 2018

Réu por lavagem, romero jucá declara que está mais pobre

BrasilO Globo, Brasil 15 de agosto de 2018

brasília Réu no Supremo Tribunal Federal (STF) pelos crimes de corrupção passiva ...

brasília Réu no Supremo Tribunal Federal (STF) pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, o presidente nacional do MDB, senador Romero Jucá (RR), empobreceu na política nos últimos oito anos. É o que diz a declaração de bens enviada à Justiça Eleitoral pelo senador, que tenta a reeleição neste ano. Jucá ainda responde a outros dez inquéritos na Corte por crimes variados.
Segundo a declaração de bens encaminhada à Justiça Eleitoral, o presidente do MDB tem hoje um patrimônio total de R$ 194,8 mil em dinheiro vivo e depósitos bancários. Em 2010, quando se elegeu para o mandato atual, o senador declarou patrimônio de R$ 607,9 mil.
Um terreno em Paulista, município de Pernambuco, não consta mais na declaração patrimonial de Jucá. Em 2010, ele havia declarado que o pedaço de terra valia R$ 4 mil. Mas a maior diferença entre 2010 e 2018 é em relação ao dinheiro em espécie.
Há oito anos, o senador disse que guardava R$ 545 mil em notas de dinheiro. Na atual declaração, ele diz manter em sua posse R$ 150 mil em espécie.
Considerado o Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M), o patrimônio declarado por Jucá em 2010, se apenas corrigido, valeria hoje R$ 989,5 mil.
Jucá é alvo de inquéritos que tramitam no Supremo, sendo alguns desdobramentos de investigações da Operação Lava-Jato. Ele é réu em uma ação penal, recebida pelo STF em março deste ano. Na denúncia, é acusado de ter pedido e recebido propina de R$ 150 mil para beneficiar a Odebrecht na tramitação de duas medidas provisórias em 2014.
O senador ficou também ficou conhecido ao ser gravado pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado em conversas sobre como "estancar a sangria" dos políticos e controlar as investigações da Lava-Jato.
Procurada, a assessoria de Jucá informou que ele não comentará o assunto.
A título de comparação, o vice de Marina Silva, o médico sanitarista Eduardo Jorge (PV), informou ao GLOBO, a relação de seu patrimônio, que totaliza R$ 320.384,29.
Os bens relacionados por Eduardo Jorge incluem uma casa de condomínio em São Sebastião (SP), fração de um terreno em São Bento do Sapucai (SP) e R$ 10.384,29 na conta do Banco do Brasil. Defensor de transporte alternativo como trem, metrô e ônibus, o vice de Marina não tem carro.
" Não tenho carro mas minha mulher que é médica tem. Ando de bicicleta. (Amanda Almeida e Maria Lima)