Miércoles, 12 de Diciembre de 2018

Indicada para a agricultura quer solucionar mal-estar com árabes

BrasilO Globo, Brasil 12 de diciembre de 2018

A deputada federal Tereza Cristina (DEM-MS), indicada para ocupar o Ministério da Agricultura no ...

A deputada federal Tereza Cristina (DEM-MS), indicada para ocupar o Ministério da Agricultura no governo de Jair Bolsonaro, disse ontem que há pressa para resolver o imbróglio sobre a exportação de carnes brasileiras para países árabes, mas disse que vai esperar a indicação do futuro ministro das Relações Exteriores para decidir qualquer ação. Ela afirmou que o comércio exterior será uma das prioridades de sua gestão.
A futura ministra também afirmou que Pesca e Agricultura Familiar podem ser incorporadas à sua pasta, mas que o presidente eleito ainda não "bateu o martelo". A deputada, que participou ontem de uma reunião geral do grupo de transição, disse que terá uma conversa com Bolsonaro na próxima terça-feira para definir a estrutura.
influência no meio ambiente
Tereza Cristina disse ainda que "com certeza" dará sua opinião, se tiver oportunidade, sobre a escolha do titular do Ministério do Meio Ambiente, que o presidente eleito desistiu de fundir com a Agricultura. E afirmou que o ideal é alguém "sem viés ideológico":
" O presidente tem dito várias vezes o que ele quer. Acabar com a indústria da multa, acabar com o viés ideológico, ser altamente técnico. Eu concordo, e não só eu, mas todos os produtores brasileiros esperam isso do presidente Jair Bolsonaro.
Sobre a possibilidade de retaliação de países árabes, grandes consumidores de carne brasileira, caso o governo Bolsonaro decida levar adiante a ideia de transferir a embaixada brasileira em Israel de Tel Aviv para Jerusalém, ela disse que ainda precisa discutir mais o assunto:
" Acho que isso tem que ter diálogo, a gente tem que pesar, colocar na mesa. Não conversei ainda (com Bolsonaro). Minha conversa hoje com o presidente foi muito rápida. Esse governo ainda não indicou o ministro das Relações Exteriores. Será muito importante para essas conversações, então preciso sentar e refletir. Não tenho todas as perguntas que vocês têm para mim na ponta da língua.
Indagada se o tema não exige pressa para ser resolvido, ela respondeu:
" Com certeza, mas nós temos até o dia 30 de dezembro para que esse governo seja montado. Que a gente ouça muito, conheça o governo. E aí a gente começa. Acho que a pressa é inimiga da perfeição.
brf quer expandir no oriente médio
O presidente global da BRF, Pedro Parente, manifestou ontem preocupação com as declarações de Bolsonaro sobre uma possível mudança da embaixada do Brasil em Israel de Tel Aviv para Jerusalém ao comentar o cancelamento de uma missão diplomática brasileira ao Egito após o presidente eleito ter cogitado mudar a representação diplomática:
" Vemos com preocupação. Mas temos a convicção de que quando esse assunto for debatido com todas as áreas do governo envolvidas, como Agricultura, Relações Exteriores, Comércio Exterior, a melhor solução será encontrada " afirmou Parente, durante teleconferência em que apresentou os resultados da empresa no terceiro trimestre, quando teve prejuízo de R$ 812 milhões.
A dona das marcas Sadia e Perdigão vende para países árabes uma série de produtos halal, fabricados segundo as tradições muçulmanas. A empresa opera duas unidades na região (uma na Turquia e outra nos Emirados Árabes) e estuda abrir uma fábrica na Arábia Saudita. O mercado árabe é uma das apostas da empresa para recuperar sua saúde financeira.