Jueves, 25 de Abril de 2019

A tv aberta ajuda o ‘streaming’? até quando?

BrasilO Globo, Brasil 25 de abril de 2019

Crítica

Crítica
A primeira temporada de "The handmaid’s tale" já está no Globoplay e o capítulo de estreia será exibido amanhã na televisão aberta, funcionando como um chamariz para assinantes. O episódio vai ao ar numa nova faixa, intitulada Cine Globoplay, já inaugurada com "Ilha de ferro". A estratégia diz muito das variações reinantes no ambiente da televisão brasileira.
A emissora aberta continua sendo aquela que alcança as massas e tem maior poder de fogo que qualquer outra plataforma. Trata-se de um axioma, ninguém discute. Mas também não é correto afirmar que a Globo esteja "ajudando" o streaming ao dar visibilidade aos seus produtos: esse serviço vem se impondo por razões alheias à força da TV aberta. Ele cresce sem parar movido por mudanças de hábito do público. O espectador está cada vez menos ligado nos horários de grade e mais interessado em montar sua própria programação a partir de um catálogo vasto.
É inegável que a exibição de "The handmaid’s tale" na TV aberta funcionará, na prática, para impulsionar o conteúdo do Globoplay. Prova disso é o sucesso de "The good doctor" depois que dois episódios foram ao ar na Tela Quente.
Mas fica uma pergunta: até quando o Globoplay precisará disso? O serviço começou como um catálogo dos programas da Globo. Aos poucos, foi montando seu próprio repertório. Ele inclui programas poderosos, como "The handmaid’s tale", além de produções próprias, como "Ilha de ferro". Será interessante acompanhar seus próximos passos.