Domingo, 18 de Agosto de 2019

Associação internacional suspende aérea em dificuldade

BrasilO Globo, Brasil 18 de agosto de 2019

A Iata, associação internacional das companhias aéreas, suspendeu a Avianca Brasil do chamado BSP ...

A Iata, associação internacional das companhias aéreas, suspendeu a Avianca Brasil do chamado BSP (Billing and Settlement Plan, em inglês), sistema global que atende mais de 370 empresas, usado para facilitar e simplificar vendas. Na prática, ele liquida pagamentos entre as empresas, como uma câmara de compensação, que processou, somente em 2017, US$ 236,3 bilhões.
Na prática, a decisão da Iata, tomada na última terça-feira, impede que a companhia aérea seja usada em voos que complementam operações internacionais. Por exemplo: se uma companhia europeia vende um voo Paris-Salvador, mas só tem voos diretos para São Paulo, a brasileira não poderá operar o trecho São Paulo-Salvador. A medida inviabiliza a venda de pacotes aéreos que juntam voos da Avianca com os de outras empresas.
A suspensão exclui ainda a Avianca dos sistemas de venda de passagens de empresas parceiras em voos compartilhados. Ou seja, rotas operadas pela companhia dos irmãos Germán e José Efromovich não serão exibidas aos passageiros que buscam opções na hora de viajar.
Em comunicado, a Iata justifica a medida após a "não liquidação de valores pendentes" da Avianca Brasil com as demais companhias aéreas. O valor dos débitos, contudo, não foi especificado.
1.500 passageiros por dia
Para um ex-funcionário da Avianca Brasil, ouvido sob sigilo, trata-se de uma decisão "muito grave" para a empresa. A suspensão da Iata poderia afetar inclusive a participação da empresa em alianças globais de companhias aéreas. A Avianca Brasil faz parte da Star Alliance desde 2010. Procurada, a Avianca Brasil não comentou.
Por causa da perda de 80% da frota motivada pela falta de pagamento de aluguéis, desde 13 de abril a Avianca Brasil cancelou mais de 3 mil voos. A situação tem levado ao remanejamento de passageiros para concorrentes. Diante da medida da Iata, a Azul "continuará realizando o remanejamento de passageiros da Avianca conforme a disponibilidade de assentos nos seus voos". A Latam, em nota, diz "estar avaliando a situação da Avianca Brasil para ver que medidas tomar". A Gol não respondeu ao pedido de comentários.
Na última terça-feira, a Avianca recorreu ao Tribunal Superior do Trabalho para evitar que os aeronautas (tripulantes) iniciem uma greve a partir de sexta-feira. O Sindicato Nacional dos Aeronautas argumenta que a empresa não tem pago salários, diárias de alimentação e nem tem feito depósitos de FGTS. A Avianca alega que transporta 1.500 passageiros por dia, com seis aviões, e que a paralisação dificultaria ainda mais o cumprimento das reivindicações. Além disso, poderia resultar até mesmo no fim de suas atividades.