Domingo, 25 de Agosto de 2019

Banho frio gera desconforto em jogadores da seleção

BrasilO Globo, Brasil 25 de agosto de 2019

A três dias da estreia na Copa América, a seleção brasileira sentiu um gostinho de Libertadores, ...

A três dias da estreia na Copa América, a seleção brasileira sentiu um gostinho de Libertadores, isto é, da versão menos estruturada do torneio continental ao ter que encarar um banho frio após treinar no Pacaembu, em São Paulo, porque a água que saiu dos chuveiros no vestiário não esquentou o suficiente.
O lateral-esquerdo Filipe Luís foi quem externou o problema. Selecionado para dar entrevista coletiva, o jogador chegou trêmulo para atender aos jornalistas e, entre uma resposta e outra, explicou o motivo.
" Desculpa, minha voz está ruim, estou com muito frio aqui. Tomei banho de água fria. Mas vou melhorar, prometo. Queria fazer um apelo para colocarem água quente nos vestiários. Está difícil dar entrevista " disse ele, sorrindo, mas sem esconder o desconforto.
Na programação inicial da seleção brasileira, estava previsto que o local de treinos nesta semana seria o CT do Palmeiras, na Barra Funda. Só que a rota mudou.
Tão próxima da estreia, a seleção já está submetida ao protocolo da Copa América. O Pacaembu foi um dos locais oferecidos pela organização. No entendimento da comissão técnica, a escolha se justificou para que o grupo treinasse os três dias no mesmo local. Hoje, a delegação estará lá novamente, em um treino fechado.
A reclamação de Filipe Luís causou constrangimento e não se restringiu ao estádio paulista, cuja administração é da prefeitura de São Paulo.
" Em Brasília, (onde a seleção fez amistoso contra o Qatar) também foi com água fria. Esperávamos mais de estádios novos assim. Hoje, no Brasil, com toda a estrutura que tem depois da Copa do Mundo de 2014, esperamos o mais próximo possível da Europa " completou o jogador.
Mas a crítica não impede Filipe Luís de cogitar voltar ao Brasil. Em fim de contrato e alvo do Flamengo, ele disse ainda querer ser campeão brasileiro. No entanto, ressaltou que a decisão quanto ao futuro só será tomada após a Copa América.
Col se explica
Diante das reclamações do lateral, o Comitê Organizador enviou nota dizendo que "todos os chuveiros estavam com água quente em perfeito funcionamento, testados, inclusive, antes da chegada da seleção". Segundo o COL, "foi explicado à delegação que o funcionamento dos chuveiros era a gás, sendo necessário ligar a água quente primeiro, para depois regular a temperatura".