Sábado, 19 de Octubre de 2019

Estreia de jorge jesus mostra flamengo mais direto e com menos troca de passes

BrasilO Globo, Brasil 19 de octubre de 2019

novo estilo

novo estilo
É cedo para fazer qualquer avaliação definitiva sobre o estilo de Jorge Jesus, mas as primeiras impressões deixadas em sua estreia como novo técnico do Flamengo diante do Athletico, na Arena da Baixada, pela Copa do Brasil, mostraram uma equipe que optou por ser mais direta para chegar ao gol adversário. Ao menos nas estatísticas, há uma diferença sensível em relação aos antecessores.
O Flamengo trocou 301 passes no empate em 1 a 1 com o Athletico, de acordo com os dados do "Footstats", e contabilizou o seu quarto menor índice no quesito nesta temporada " superando só os duelos contra São Paulo (219), no Brasileiro, Fluminense (251), pelo Carioca, e San José-BOL (300), pela Libertadores.
Apesar dos três jogos com menor índice terem sido com Abel Braga, todos foram em cenários atípicos. Atuando com reservas contra o São Paulo, diante de um Fluminense que aposta na manutenção extrema da posse de bola, com Fernando Diniz, e na altitude boliviana, contra o San José.
O time de Abel teve média de 430 passes nos 30 jogos que realizou, enquanto o interino Marcelo Salles alcançou média de 450 passes em quatro jogos disputados.
Ex-treinador rubro-negro, Abel Braga já falava em reduzir os períodos longos de posse de bola do Flamengo e buscar um jogo mais direto. No entanto, os registros do time ainda mostraram jogos com muitos passes trocados. O jogo de Curitiba talvez indique que Jorge Jesus possa fazer uma guinada mais rápida em direção a seu estilo mais direto.
Arão é elogiado
A estatística chama atenção e, além dos números, há outros fatores que precisam ser considerados. Um deles, que o jogo na Arena da Baixada já é usualmente difícil. Além disso, era apenas a primeira partida do português no comando da equipe. Com um time em adaptação a uma nova forma de jogar, o domínio das ações foi dos paranaenses (o Athletico teve 58% de posse de bola).
Assim, resta observar como o time vai se comportar nos próximos jogos e como a estatística vai variar em relação à posse de bola e à troca de passes.
Analisando individualmente os atletas rubro-negros, quem mais tocou na bola durante a partida foi o lateral-esquerdo Renê (41 passes), seguido do meio-campista Arrascaeta (38), mostrando como a ligação direta entre defensores e atacantes foi explorada na Arena da Baixada. Eles interagiram 19 vezes ao longo do duelo e formaram a dupla mais conectada do Flamengo.
Outro que agradou ao técnico Jorge Jesus foi o volante Willian Arão, que iniciou a partida como segundo volante, mas subiu de produção " assim como a equipe durante o segundo tempo " quando foi recuado. Ele foi elogiado pela sua função tática.
" O princípio do Arão sempre foi ser um primeiro volante, e com o tempo foi avançando. Temos que ver o que é um primeiro e um segundo volante em características individuais, e o vejo como primeiro volante. Faz as duas funções. É um jogo com a intensidade e a característica muito alta " declarou o treinador.