Viernes, 21 de Febrero de 2020

Cano encanta torcida do vasco e conta pontos para campello

BrasilO Globo, Brasil 20 de febrero de 2020

Há mais um trocadilho possível com o nome do atacante argentino do Vasco, além da habitual ...

Há mais um trocadilho possível com o nome do atacante argentino do Vasco, além da habitual referência às tubulações hidráulicas: com quatro gols em seis partidas, Germán tem sido canonizado pela torcida vascaína. O jogador representa até agora o maior acerto da diretoria encabeçada pelo presidente Alexandre Campello em meio à instabilidade política e financeira que o clube atravessa.
A classificação apertada para a segunda fase da Copa do Brasil " conquistada com empate em 1 a 1 com o Altos, e m Teresina " ressaltou ainda mais a importância do camisa 14. Depois de inúmeras chances de gol desperdiçadas, foi ele quem evitou uma eliminação que teria efeitos catastróficos sobre o clube.
Com dois meses de São Januário, o argentino caiu nas graças dos vascaínos, calejados pela falta de um homem-gol de números expressivos desde a temporada de 2012, quando Alecsandro fez 26 gols.
A contratação gerou desgaste a Campello e foi apontada como um dos motivos da saída do grupo "Desenvolve Vasco" da gestão, mês passado. Segundo eles, o gasto gerado pela chegada do argentino deixaria o orçamento vascaíno acima do que o clube consegue pagar.
Campello argumentou que Germán Cano aumentaria a qualidade do time e os resultados em campo gerariam receita para o clube. Na primeira ocasião em que sua tese foi colocada à prova, Cano não decepcionou. Com o gol em Teresina, o argentino garantiu a classificação e mais R$ 1,3 milhão para os cofres combalidos de São Januário.
A dívida salarial segue grande e gerando problemas para o presidente, como a ameaça de greve de funcionários.
Politicamente, o cerco da oposição, liderada pelo presidente do Conselho Deliberativo, Roberto Monteiro, segue forte, com a ameaça de suspender Campello do cargo por cinco dias.
O que os opositores tentam é a lista de sócios do clube, que o presidente só disponibiliza dentro das dependências da Colina. A oposição quer tirá-la de lá a todo custo.
Campello tem alegado que deve proteger os dados como RG e CPF" um pedido que tem recebido dos próprios sócios.