Viernes, 05 de Marzo de 2021

Globoplay aposta em áudio e amplia o cardápio de podcasts

BrasilO Globo, Brasil 22 de enero de 2021

Já conhecido dos brasileiros pela oferta de programas e séries em vídeo, o Globoplay quer se ...

Já conhecido dos brasileiros pela oferta de programas e séries em vídeo, o Globoplay quer se tornar destino do público que procura conteúdo em áudio. Ontem, a plataforma de streaming anunciou investimentos e parcerias em seu portfólio de podcasts, formato que registrou aumento de 33% na audiência em 2020, em relação ao ano anterior, e já alcança 28 milhões de brasileiros, segundo pesquisa da Kantar Ibope Media. Entre as novidades estão a incorporação de materiais produzidos pelas redações do Grupo Globo, incluindo O GLOBO, e de podcasters independentes, além da transmissão ao vivo do sinal da rádio CBN.
" A história do Grupo Globo com o som, com o áudio, é muito antiga. Ela começa há 75 anos com a criação da Rádio Globo. E o rádio é até hoje, no Brasil, um veículo muito importante, porque ele tem uma característica muito peculiar, que é a proximidade. O som é companheiro " afirmou o presidente-executivo da Globo, Jorge Nóbrega, no evento AudioDay Globo 2021. " É com essa memória do rádio que nos reinventamos para criar produtos. Mas muito identificado com o processo de transformação que estamos tendo na Globo em geral, que é a junção da tecnologia com conteúdo de qualidade e com a criatividade para produzir experiências mais emocionantes e mais marcantes na vida das pessoas.
Podcasts do GLOBO
O GLOBO participa do novo projeto com os podcasts Ao Ponto, apresentado pelos jornalistas Carolina Morand e Roberto Maltchik, e Lauro e Gabeira, uma conversa semanal entre o colunista Lauro Jardim e Fernando Gabeira.
" Aqui no GLOBO, nós temos muito orgulho de fazer parte desse novo ecossistema de áudio da Globo " afirmou Lauro Jardim, em mensagem gravada para o evento.
Da rádio CBN, estreiam no Globoplay os podcasts Panorama CBN, Academia CBN com Mario Sergio Cortella, Nossa Língua de Todo Dia com Pasquale Cipro Neto e a Rádio Sucupira. Eles se juntam a mais de 80 títulos produzidos pela Globo por nomes como Pedro Bial, Angélica e a equipe do Fantástico, e mais de 40 podcasts de esporte, como A Mesa, comandado por André Rizek e Paulo Vinícius Coelho.
Erick Brêtas, diretor de Produtos e Serviços Digitais da Globo, destacou que as plataformas digitais do Grupo Globo alcançam mais de cem milhões de pessoas todos os meses, com diferentes interesses, e é preciso ampliar o cardápio para atender a demanda do público.
" Estamos trazendo para as nossas plataformas ainda mais vozes. Vozes do mercado independente, buscando parcerias, buscando diversidade " afirmou Brêtas. " A gente quer falar com todo mundo e quer servir jornalismo, entretenimento, esportes... Um cardápio completo.
Nesse sentido, o Globoplay anunciou a inclusão em seu portfólio de uma gama diversificada de podcasts independentes, como o BBB Tá On, de Jeska Grecco e Samir Duarte, que debate o que acontece no reality show; e Astrológicas, de Isabel Mueller e Titi Vidal, com foco na astrologia. Parentalidade, com as jornalistas Karina Godoy e Natália Ariede, dá dicas para pais e mães no cuidado com os filhos.
Pega Essa Ref, de Kaique Brito, de 16 anos, fala sobre a cultura pop e questões que envolvem a geração Z. Em Atenção Passageiros, Lito Sousa, mecânico de aeronaves e, em breve, piloto, fala sobre o setor aéreo; e Amanda Dias, em Fala, Emancipade, dá dicas de finanças de maneira descomplicada. Para os gamers, um podcast com Diego Lunacy vai debater o lado esportivo do popular jogo League of Legends.
Ivan Mizanzuk, um dos mais conhecidos podcasters do mercado brasileiro, realizador do Projeto Humanos, foi contratado para desenvolver novos projetos. O Globoplay também fechou parceria com a produtora B9, dos conhecidos canais Mamilos e Braincast.
" Participamos ativamente desse mercado desde 2005, e nos últimos anos o vimos crescer, tanto em número de ouvintes, quanto na oferta de conteúdo e na sofisticação da participação das marcas nessas conversas " afirmou Carlos Merigo, sócio do B9 e apresentador do Braincast. " Nesse contexto, no momento em que a Globo nos fez o convite de parceria, não tivemos dúvida de que era a melhor escolha. É uma marca brasileira, associada a um padrão de qualidade, com a qual temos orgulho de agora unir nossa trajetória.
17% dos brasileiros
A aposta nesse formato faz sentido, já que o público cresce ano a ano. Guilherme Figueiredo, diretor de produtos de Áudio Digital da Globo, apresentou números de uma pesquisa encomendada à Kantar Ibope Media mostrando que, em 2019, 13% dos brasileiros maiores de 16 anos, ou 21 milhões de pessoas, se declaravam ouvintes de podcasts, percentual que subiu para 17% ano passado, um público de 28 milhões de pessoas.
" Esse crescimento também se reflete nos números da Globo. Tivemos um aumento de incríveis 450% nos downloads totais de 2020, em comparação a 2019 " afirmou Figueiredo.
E esse interesse do público abre oportunidades para o mercado publicitário. Eduardo Schaeffer, diretor de Negócios Integrados em Publicidade da Globo, destacou uma característica do formato que o diferencia de outras mídias, que é a proximidade do ouvinte com o apresentador.
" Você pode escutar um podcast ao mesmo tempo em que está dirigindo, tomando banho, indo dormir " disse Schaeffer. " Isso é fundamental porque o podcast consegue fazer uma ligação bastante íntima com os âncoras, e é isso o que as marcas procuram. Elas querem não interferir na vida das pessoas, elas querem fazer parte da vida das pessoas.