Martes, 02 de Marzo de 2021

Companhias tiram boeing 777 do ar, após motor pegar fogo

BrasilO Globo, Brasil 23 de febrero de 2021

Companhias aéreas deixaram de usar dezenas de aviões Boeing 777 mais antigos após a falha de um ...

Companhias aéreas deixaram de usar dezenas de aviões Boeing 777 mais antigos após a falha de um motor da Pratt & Whitney, que pegou fogo e espalhou destroços sobre a periferia da cidade de Denver " o que levou os reguladores do setor nos EUA a solicitarem inspeções de emergência. No Brasil, nenhuma das três maiores companhias aéreas opera o modelo 777-200, que apresentou a falha.
É mais uma crise para a fabricante americana, depois dos problemas com o Boeing 737 Max, que ficou parado quase dois anos, após dois acidentes que mataram mais de 300 pessoas. Só voltou a voar no fim do ano passado.
A Latam Brasil tem em sua frota aviões 777-300 com turbinas da General Electric, segundo a companhia, mas informou que "não conta com aeronaves Boeing 777-200 e nem com motores Pratt & Whitney 4000 em sua frota".
No caso da Gol, a frota é composta por aviões da Boeing, mas nenhum deles é 777. A empresa, que lidera o mercado de aviação doméstica no Brasil, usa os modelos 737-800, 737-700 e 737 MAX.
A United Airlines interrompeu as operações de 24 de seus aviões, depois que a Administração Federal de Aviação (FAA) dos EUA ordenou verificações das lâminas da turbina nos motores PW4077.
O Reino Unido ordenou o fechamento de seu espaço aéreo a aviões que usem o motor. "Após problemas neste fim de semana, os Boeing B777s com motores Pratt & Whitney 4000-112 serão temporariamente proibidos de entrar no espaço aéreo do Reino Unido", disse o ministro dos Transportes britânico, Grant Shapps, no Twitter.
O Ministério dos Transportes do Japão foi no mesmo caminho: suspendeu aviões com o mesmo motor ontem. A Korean Air Lines e a Asiana Airlines fizeram o mesmo.
A própria Boeing recomendou a suspensão dos voos. "Recomendamos suspender as operações dos 69 777 em serviço e 59 em armazenamento equipados com motores Pratt & Whitney 4000-112 até que a FAA identifique o protocolo de inspeção apropriado".
No Brasil, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que está acompanhando o caso, mas que não há aeronave com esse tipo de motor em operação no Brasil.
*Com agências