Viernes, 07 de Octubre de 2022

Igreja de São Jorge suspende missas em Quintino, Zona Norte do Rio, após ordem do tráfico

BrasilO Globo, Brasil 23 de septiembre de 2022

Agência O Globo -
Em meio a disputas entre o tráfico e a milícia pelo controle territorial de comunidades do Campinho, Zona Norte do Rio, a Igreja de São Jorge, em Quintino, suspendeu as missas que estavam previstas para esta sexta-feira

Agência O Globo -
Em meio a disputas entre o tráfico e a milícia pelo controle territorial de comunidades do Campinho, Zona Norte do Rio, a Igreja de São Jorge, em Quintino, suspendeu as missas que estavam previstas para esta sexta-feira. De acordo com o padre Dirceu Rigo, responsável pela igreja, a ordem da não celebração partiu dos traficantes que atuam na região. Segundo o sacerdote, a informação para fechar a igreja veio por mensagens de WhatsApp de fiéis e alguns comunicados, pessoalmente, de que o tráfico mandou fechar tudo.
— Todo o comércio está fechado por aqui: Faetec, clínica da família. Eles (traficantes) mandaram, a gente fechou a igreja. Ligamos para a polícia para saber como proceder, pois isso nunca tinha acontecido aqui. O policial disse que eu tinha toda a liberdade, mas que seria prudente fechar. Seria melhor. Então, hoje, como todo dia 23, dia de São Jorge, a gente tem três missas: 9h, 17h e 19h. Reunimos mais 2 mil fiéis aqui. Só consegui rezar a primeira, mesmo assim, ouvimos tiros — afirma.
Tradicionalmente todo dia 23, em alusão ao dia do padroeiro da paróquia, três missas são celebradas às 9h, 17h e 19h para os devotos de São Jorge. As celebrações costumam reunir até 2 mil pessoas. Padre Dirceu conta que durante a celebração da manhã desta sexta-feira, os fiéis ficaram assustados com os tiroteios:
— Havia cerca de 300 pessoas na igreja naquele momento. Elas ficaram muito assustadas. Foi quando eu levantei a hóstia, no momento da consagração, eu disse para todos que Jesus estava conosco. Os tiros cessaram e só recomeçaram após a missa. Foi algo impressionante! — relata o padre.