Martes, 06 de Diciembre de 2022

Cinco maiores bancos dominam 81,4% do mercado de crédito

BrasilO Globo, Brasil 7 de octubre de 2022

Os cinco maiores bancos do país dominaram 81,4% do mercado de crédito no ano passado, aponta o ...

Os cinco maiores bancos do país dominaram 81,4% do mercado de crédito no ano passado, aponta o Relatório de Economia Bancária de 2021, divulgado ontem pelo Banco Central (BC). Esse é o retrato da concentração das atividades bancárias de Itaú, Bradesco, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e Santander, que também tiveram 77,4% dos depósitos totais em 2021.
Esses números representam leve queda em relação à concentração bancária registrada em 2020, quando essas instituições detiveram 81,8% das operações de crédito e 79,1% dos depósitos.
O BC também apontou que a lucratividade dos bancos voltou a subir, em recuperação da queda ocorrida em 2020 e alcançando patamares próximos aos observados antes da pandemia de Covid-19. O lucro líquido do sistema bancário em 2021 foi de R$ 132 bilhões, 49% superior ao obtido em 2020 e 10% acima do observado em 2019.
De acordo com o BC, houve queda de concentração bancária em mercados considerados relevantes, como os financiamentos rurais e agro e habitacionais, para pessoas físicas e jurídicas, e também em crédito pessoal com consignação em folha de pagamento, cartão de crédito e aquisições com recebíveis comerciais. Mas a autoridade monetária admite que o nível de concentração ainda é elevado, especialmente em segmentos com recursos direcionados.
No caso dos financiamentos rurais e agro, mais da metade das operações foi feita pelo Banco do Brasil, que registrou 52,73% do total. Na sequência aparece o Bradesco, com 5,38% deste mercado. A Caixa, que passou a mirar no agronegócio, tem 3,07%. Neste caso específico, a participação de cooperativas é representativa: o Sicredi tem 2,98% desse mercado, mais do que o registrado pelo Santander, que tem 2,81%.
santander será excluído
Já nos financiamentos habitacionais, a participação da Caixa é muito forte: tem 66,25% do mercado. Os três bancos privados (Itaú, Bradesco e Santander) registram 26,03% do mercado.
O diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do BC, Renato Gomes, comentou a queda na concentração bancária em todos os segmentos e ressaltou o aumento da participação das cooperativas. No caso das operações de crédito, as cooperativas cresceram de 4,3% para 6,1% entre 2019 e 2021. Já os depósitos passaram de 4,7% para 6%.
" A diminuição da concentração do mercado de crédito reflete a política pública de digitalização de meios de pagamento e novos serviços " afirmou, citando o Pix e a entrada de novos players no mercado.
O BC ainda informou que adotará outras métricas daqui em diante para mensurar a concentração bancária. Uma das alterações será a quantidade de instituições, que passará de cinco para quatro, excluindo o Santander. Gomes explicou que a mudança visa buscar alinhamento com o mercado internacional; além disso, esse modelo é considerado mais eficiente:
" É mais informativo um índice que pega um topo mais qualificado do mercado. Não há nenhuma razão a não ser a adequação ao mercado internacional.
O Santander foi procurado, mas não quis se pronunciar sobre a alteração.
A retomada da lucratividade, que avançou 49%, foi explicada por três razões principais, segundo o BC: crescimento da margem de juros, redução de despesas com provisões e ganhos de eficiência. O BC aponta que, em razão do cenário econômico menos favorável previsto para 2022, há uma expectativa de alta moderada na inadimplência.
A Febraban diz que a recuperação da rentabilidade do setor bancário em 2021 acompanha a recuperação da atividade econômica do país.