Sábado, 20 de Abril de 2024

Controladora de ph, pensi e elite vende 32% do negócio

BrasilO Globo, Brasil 27 de febrero de 2024

capital

capital
A Gera Capital, gestora que tem Jorge Paulo Lemann como investidor, se desfez de uma participação de praticamente um terço (32%) no Grupo Salta, que costumava se chamar Eleva Educação e é dono de escolas como pH, Pensi e Elite. Quem comprou a fatia foram a Atmos, gestora carioca de Bruno Levacov, o fundo Mission Co., de ex-sócios da Gávea Investimentos, e a Warburg Pincus, gigante americano do private equity que já era sócia do negócio.
Depois da transação, que foi fechada na tarde de ontem, o maior acionista da Salta será a Warburg Pincus, com 28%. A Atmos, que está entrando no negócio, ficará com fatia de 19%, enquanto a Mission Co. deterá 11%. Já a Gera Capital reduziu sua fatia de 55% para 23%. Outros 19% estão nas mãos de executivos e outros sócios da companhia.
Mas a Gera Capital continuará com maioria no conselho, mantendo sua sócia Duda Falcão como presidente executiva do colegiado. O CEO do Salta segue sendo Bruno Elias.
A transação vem sendo negociada há meses, e a Atmos chegou a estruturar uma captação de até R$ 500 milhões para fechar a operação junto a clientes do segmento private de bancos como o Itaú, apurou a coluna.
A companhia não divulgou os valores envolvidos. Embora a cifra de R$ 1 bilhão tenha circulado nos últimos meses, interlocutores da companhia estimam que o negócio teria ficado entre R$ 700 milhões e R$ 750 milhões.
O negócio foi 100% secundário, sem injeção de qualquer centavo no caixa da companhia. A transação foi necessária, segundo a Gera, para dar saída aos investidores do seu primeiro fundo, iniciado em 2013 e cujo prazo acaba de vencer. Segundo observadores do setor de educação, a redução da participação de Lemann no Salta pode ajudar nas negociações de rolagem de dívida com os bancos.
" As instituições financeiras duelaram com ele na crise da Americanas e estavam mais reticentes com companhias das quais ele é sócio " disse uma fonte a par do assunto.
Lemann, porém, continua sócio do negócio na qualidade de investidor dos outros fundos da Gera Capital, que ainda é dona de 23% da Salta.
Com 178 unidades, mais de 130 mil alunos e 22 marcas de escolas, o Grupo Salta diz ter faturamento de R$ 2,3 bilhões e é uma das principais empresas por trás da tendência de consolidação na educação.
Mas com endividamento próximo a R$ 1 bilhão, o grupo é considerado alavancado por observadores do setor. Em vez das aquisições pelas quais ficou conhecida, a principal transação da companhia em 2023 foi uma venda: as escolas Eleva para a britânica Inspired por R$ 2 bilhões.
Este texto foi originalmente publicado na coluna de negócios Capital, no site do GLOBO: blogs.oglobo.globo.com/capital
La Nación Argentina O Globo Brasil El Mercurio Chile
El Tiempo Colombia La Nación Costa Rica La Prensa Gráfica El Salvador
El Universal México El Comercio Perú El Nuevo Dia Puerto Rico
Listin Diario República
Dominicana
El País Uruguay El Nacional Venezuela