Sábado, 20 de Julio de 2024

Empresário nelson tanure quer entrar na disputa pela sabesp

BrasilO Globo, Brasil 20 de junio de 2024

À medida que avança o processo de privatização da Sabesp, o número de empresas ...

À medida que avança o processo de privatização da Sabesp, o número de empresas interessadas nas ações da companhia de saneamento paulista está se afunilando. A Aegea, que tem como acionistas Equipav, Fundo Soberano de Cingapura e Itaúsa, e a Equatorial, que tem a concessão para operação de água no Amapá, despontam como as principais interessadas, segundo fontes do mercado. Por fora, corre o empresário Nelson Tanure, que junto com um fundo de investimento venceu a concessão da Empresa Metropolitana de Água e Energia (Emae), primeira estatal do governo de São Paulo privatizada, em abril passado.
" O modelo de privatização ficou bastante amarrado para que o acionista de referência busque a universalização dos serviços em 2029. Condições como o non compete (em que o vencedor não poderá participar de novas concessões em São Paulo) e a poison pill (mecanismo usado para impedir que um sócio adquira a maior parte das ações de uma empresa) acabaram afastando alguns investidores. O momento negativo do mercado pode ter reduzido o interesse por Sabesp " explica Percy Soares Neto, da Transparent Consultoria.
A novidade na disputa é a possibilidade de Tanure entrar no leilão. No mercado, circula a informação de que o empresário estaria alinhavando um consórcio de investidores, inclusive com a BNDESPar, braço de investimento do BNDES. Procurada, a BNDESPar informou "que não celebrou nem está em vias de negociar qualquer acordo, convênio ou parceria com terceiros para participação na oferta pública da Sabesp."
sinergia com a emae
Segundo especialistas, a vitória de Tanure na Emae, com oferta de R$ 1,04 bilhão através do fundo Phoenix, do qual é cotista, trouxe um cenário de sinergia com a Sabesp. Um dos papéis da Emae, além de geração de energia, é a regulação das cheias dos rios Pinheiros e Tietê, por meio da Usina Elevatória São Paulo e da Usina Elevatória Pedreira. A questão é saber se as contas feitas por Tanure com a sinergia se transformarão em uma oferta pelas ações da Sabesp.
Tanure já é acionista de referência da Light e tem participações em Gafisa, Alliança Saúde e Prio, de petróleo e gás. Ele tentou comprar participação na Dasa, mas a empresa fechou acordo para fusão de sua rede de hospitais com a Amil, companhia que empresário também quis adquirir em 2023.
Já a Aegea sempre se mostrou interessada na Sabesp. A operadora, uma das maiores de saneamento do país, já tem acordo com a Yvy, gestora que busca investimentos verdes e tem como sócios o ex-ministro da Economia Paulo Guedes e o ex-presidente do BNDES Gustavo Montezano. Procurada, a empresa não comentou o assunto.
Procurado, Tanure não se manifestou. E a Equatorial não comentou.
A IG4 Capital, uma das maiores gestoras de ativos independentes e que controla a Iguá Saneamento através de um fundo, desistiu da disputa. Ela entraria em consórcio com a francesa Veolia, de saneamento, mas as condições adversas do mercado pesaram.
La Nación Argentina O Globo Brasil El Mercurio Chile
El Tiempo Colombia La Nación Costa Rica La Prensa Gráfica El Salvador
El Universal México El Comercio Perú El Nuevo Dia Puerto Rico
Listin Diario República
Dominicana
El País Uruguay El Nacional Venezuela