Martes, 06 de Diciembre de 2022

Alvo de investigação, filho de cabral se entrega à pf

BrasilO Globo, Brasil 25 de noviembre de 2022

Uma das 27 pessoas que tiveram na quarta-feira a prisão preventiva decretada pela Justiça Federal, ...

Uma das 27 pessoas que tiveram na quarta-feira a prisão preventiva decretada pela Justiça Federal, dentro da Operação Smoke Free, José Eduardo Neves Cabral, filho do ex-governador Sérgio Cabral, se apresentou, ontem, na sede da Polícia Federal, na Praça Mauá. Um dos principais alvos, Zé Cabral, como é conhecido, atuaria como operador financeiro de Adilson Coutinho Oliveira Filho, o Adilsinho, apontado nas investigações como chefe de uma organização criminosa dedicada à venda ilegal de cigarros.
Segundo Rafael Kullmann, advogado de José Eduardo, seu cliente se entregou espontaneamente "seguro de que sua inocência será provada no decorrer do processo". Ele foi levado para o Presídio José Frederico Marques, em Benfica. A unidade serve como porta de entrada do sistema penitenciário. De acordo com o site G1, para a PF, o filho de Cabral era um dos gerentes da quadrilha. Ele também seria responsável por pagar propina a policiais.
A relação entre José Eduardo e Adilsinho começou em maio de 2021. Na ocasião, a empresa de eventos do filho de Cabral, a ZC Entretenimento, aberta em 2019, foi contratada para promover uma festa milionária de Adilsinho no Copacabana Palace. Ele também teve a prisão decretada, mas não foi preso porque teria viajado para os Estados Unidos.
A operação de anteontem foi um desdobramento de uma investigação do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Rio. O esquema consistia em obrigar comércios localizados em áreas dominadas por milícias e pelo tráfico a vender cigarros de uma determinada marca. Fora isso, os cigarros eram vendidos por preços abaixo do valor de mercado em razão da sonegação de impostos, como o IPI.
Pela investigação, após a festa no Copa, avaliada em R$ 3 milhões, José Eduardo passou a atender Adilsinho em operações financeiras, que incluíam pagamento de seguranças e movimentação em bancos.