Miércoles, 27 de Septiembre de 2023

Brasil propõe reunião com zelensky em nova york

BrasilO Globo, Brasil 18 de septiembre de 2023

O líder do governo no Senado, senador Jacques Wagner (PT-BA), afirmou ontem que o ...

O líder do governo no Senado, senador Jacques Wagner (PT-BA), afirmou ontem que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ofereceu dois horários para um reunião bilateral ao presidente ucraniano Volodymyr Zelensky durante a Assembleia Geral da ONU. A previsão é que a bilateral com Zelensky ocorra hoje ou na amanhã, após a cerimônia de abertura.
Jaques Wagner é um dos membros da comitiva oficial de Lula para Nova York. O petista chegou à cidade americana na noite de sábado e ficará até o dia 21. Além da Assembleia Geral da ONU, há a previsão de um encontro com o presidente americano Joe Biden e outras bilaterais em negociação pelo governo brasileiro.
Lula defende a criação de um grupo de países para ajudar a costurar um acordo de paz entre Rússia e Ucrânia e sinalizou que gostaria de conversar sobre o assunto com Zelensky. O líder ucraniano diz que uma negociação teria que ter como base condições já apresentadas pela Ucrânia. O presidente ucraniano gostaria que o Brasil adotasse uma posição mais dura com o Kremlin. O governo brasileiro condenou a invasão russa à Ucrânia, mas não concorda com a aplicação de sanções econômicas à Rússia por alguns países, como Estados Unidos e os que integram a União Europeia.
Em maio, os dois presidentes quase se reuniram durante a cúpula do G7, no Japão. A versão do governo brasileiro é que foram oferecidos mais de dois horários para Zelensky, que, assim como Lula, participou de parte do evento como convidado. Porém, o ucraniano não apareceu. Já as autoridades ucranianas argumentaram que o Brasil demorou a responder ao pedido feito por Zelensky para se reunir com Lula. Quando a oferta de horários foi apresentada pelo governo brasileiro, o presidente do país do Leste Europeu já tinha compromissos agendados.
O desencontro perturbou as relações bilaterais. Zelensky deu declarações polêmicas depois disso. Uma delas, no mês passado, foi que de Lula repete o que diz o presidente da Rússia , Vladimir Putin. Lula e Zelensky conversaram por telefone, em março deste ano. No contato, o mandatário ucraniano convidou o presidente brasileiro para ir a Kiev.
O assessor especial para assuntos internacionais do Palácio do Planalto, Celso Amorim, foi a Kiev, também em maio, antes da Cúpula do G7. Em abril, Amorim foi a Moscou, onde se reuniu com o presidente da Rússia, Vladimir Putin. No mesmo mês, o chanceler russo, Sergey Lavrov, visitou Brasília e afirmou que Brasil e Rússia tinham visões comuns sobre a paz mundial.
La Nación Argentina O Globo Brasil El Mercurio Chile
El Tiempo Colombia La Nación Costa Rica La Prensa Gráfica El Salvador
El Universal México El Comercio Perú El Nuevo Dia Puerto Rico
Listin Diario República
Dominicana
El País Uruguay El Nacional Venezuela